Cinema Águia D'Ouro
Praça da Batalha - Largo Stº Ildefonso
1908 como cinema
Dezembro 1989
Empresa Artística
O Café Águia D'ouro abriu as suas portas no primeiro mês de 1839, por lá passaram algumas figuras ilustres portuguesas como Camilo Castelo Branco e Antero de Quental .No Teatro com entrada lateral ao café também passaram inúmeros artistas - Em 1908 esta velha casa, abre-se também ao cinema. A novidade era o "cronomegaphone", considerado "o mais moderno aperfeiçoamento do cinematógrafo falante", não sendo cinema sonoro, já que este só apareceu 20 anos mais tarde. Ainda em Agosto de 1907, chegara a estrear o "Cynematographo Edison" sendo o espectáculo dividido em três partes e visto com um só bilhete, os preços para a altura eram bastante económicos; cadeiras 100 réis e galerias a 50 réis Em 15 de Setembro de 1930 viria a inaugurar-se o cinema sonoro com o filme "All That Jazz" com Al Joson. O Águia seria então uma das melhores salas do Porto.
Em 7 de Fevereiro de 1931 foi reaberto após obras de remodelação, tendo ficado com uma nova fachada, a actual e sustentando no seu pórtico o símbolo do seu nome, uma Águia de Ouro.
Em 1989, já com o café fechado e a ausência dos espectadores às salas de cinema, o Águia viu-se forçado a encerrar as portas, tendo sido comprado pela empresa Solverde com o objectivo de abrir um Bingo, tal como aconteceu ao Olympia, na Rua Passos Manuel. Tendo sido reprovado tal projecto por parte da Câmara. O espaço ficou ao abandono e com o passar do tempo tornou-se uma ruína em elevado estado de degradação. Em Agosto de 2006 a Solverde põem o imóvel à venda por três milhões de euros.


Actualmente o imóvel em ruínas pertence à empresa Solverde.
Visite o site e saiba como pode ajudar a que o Águia D'ouro seja conservado
como sala de espectáculos

1906
Foto: A.Paz dos Réis
1929
Aspecto interior 1929

Programa do filme "As Pupilas do Sr. Reitor"

Outubro 1930
Novembro 1917
Anos 60